17
Março
2016
0
//www.danilomachado.com.br/media/user/images/original/imagens-blog001_h1.jpeg

Use: Eu volto Amanhã!

Criado: 17 Março 2016 | Atualizado: 17 Dezembro 2019
Tamanho da fonte
pequena
normal
grande
Versão para impressão
imprimir
Compre somente o necessário SEMPRE

Danilo Machado
www.danilomachado.com.br
17 de março de 2016

Estamos constantemente sendo convidados a comprar coisas das quais não precisamos, com o dinheiro que não temos para impressionar pessoas das quais não gostamos.
Durante muito tempo fui um comprador por impulso e se saía com algum dinheiro na carteira me parecia correto ter a obrigação de trocá-lo por algum objeto desnecessário. Esse comportamento que nos parece ingênuo ou irresponsável pode ter um explicação um pouco mais complexa do que se poderia imaginar.
Durante nossa evolução como caçadores/coletores tínhamos a necessidade de consumir imediatamente a nossa comida pois não tínhamos meios adequados de armazenamento e conservação. Para garantir a nossa sobrevivência como espécie nosso cérebro desenvolveu um mecanismo de três fazes: desejo - busca - consumo imediato.
A fome ou desejo de comer era o gatilho para acionar o MODO BUSCA em nossos cérebros e isso funcionava como motivação para se percorrer vários e vários quilômetros em busca de alimento entre vales, topos de montanhas e florestas. Ao encontrar alimento este deveria ser consumido imediatamente pois não tínhamos meios para estocá-lo ou conservá-lo adequadamente.
Esse processo garantiu a sobrevivência dos nossos ancestrais e por isso estamos aqui hoje. No entanto, em uma sociedade moderna, onde basta ir até a geladeira para encontrar os alimentos que desejamos tal mecanismo ( desejo - busca - consumo imediato ) , apesar de não ter mais a utilidade que teve no passado, não pode simplesmente ser desligado. A sua função foi transferida para outras áreas do nosso cotidiano como as compras por impulso.
Por isso vemos tantas pessoa comprando coisa das quais elas não precisam, e o que torna esse comportamento ainda mais grave é que muitas vezes compram objetos pelos quais não podem pagar e se vêem cada vez mais se afundando em dívidas.

Este comportamento pode ser quebrado com duas simples ações que costumo usar com certa frequência.
Sempre que o desejo de gastar chega até mim eu o confronto com as seguintes perguntas:
Eu realmente preciso disto? Por que deveria comprar este objeto? Em 90% dos casos a resposta é negativa e a justificativa fraca ou inexistente o que me faz desistir da compra. Não estou querendo aqui afirmar que o meu desejo de possuir o objeto em questão desapareceu por completo mas ao seguir adiante em poucos minutos eu já me sinto melhor por não tê-lo comprado.
E toda vez que tenho um sim como resposta eu utilizo a regra que explicarei abaixo.
Digamos que eu esteja passeando pelo shopping e seja acometido pelo desejo de comprar um novo par de sapatos. Imediatamente um diálogo interno se inicia: Eu realmente preciso de mais um par de sapatos? Me pergunto. Sim, eu realmente preciso porquanto o meu sapato marrom está começando a descolar o solado pela segunda vez. É uma boa justificativa, penso eu. Então entro na loja, provo, e se realmente gostei do modelo, falo para o vendedor: muito obrigado pela sua atenção, voltarei amanhã para buscá-lo. É impressionante a quantidade de vendedores inconsolados que eu deixo esperando o meu retorno. Em metade dos casos eu não volto para finalizar a compra e isso me faz economizar muito dinheiro.
Eu convido a você começar a praticar essa regra hoje mesmo e depois nos dizer o que aconteceu e como se sentiu.

O que você achou desta informação?


0

 

Comentários

Faça parte da notícia, deixe seu comentário, expresse sua opinião.
E-mail protegido, também não gostamos de SPAM

Sua mensagem foi enviada com sucesso!