08
Abril
2016
0
//www.danilomachado.com.br/media/user/images/original/imagens-blog001_c9.jpeg

MORTE SÚBITA

Criado: 08 Abril 2016 | Atualizado: 17 Dezembro 2019
Tamanho da fonte
pequena
normal
grande
Versão para impressão
imprimir
Hipoteticamente, se algo negativo lhe acontecer e por esta razão você for impedido de receber sua renda mensal por quanto tempo você e sua família conseguiriam sobreviver sem a ajuda de terceiros e sem recorrer a empréstimos?

Danilo Machado
Machado Academy
8 de abril de 2016

Hipoteticamente, se algo negativo lhe acontecer e por esta razão você for impedido de receber sua renda mensal por quanto tempo você e sua família conseguiriam sobreviver sem a ajuda de terceiros e sem recorrer a empréstimos?
Sempre que faço essa pergunta em minhas palestras um silêncio inquietante paira no ar ( é possível ouvir um alfinete caindo no fundo da sala) que é interrompido depois de alguns segundos por algum engraçadinho que quebra a tenção gritando: “morte súbita!” e todos relaxam numa gargalhada em coro…
Seria realmente engraçado se fosse apenas uma piada sem sentido. Mas, o fato é que 90% ou mais realmente teriam morte súbita se algo de ruim acontecesse e eles fossem impedidos de receber seus pagamentos mensais e não fossem acudidos por amigos, parentes ou instituições financeiras.
Veja, uma pessoa que ganha R$3.000,00 por mês e está no mercado de trabalho há 5 anos se guardasse apenas 10% todos os meses, R$300,00 (em uma aplicação a 0,8% ao mês), ela teria em conta R$22.987,16. Isso seria o suficiente para ela sobreviver, sem problemas, por quase 8 meses! 22.987,16 / 3.000,00 = 7,66
Agora, pegue o que você tem de reserva e divida pelo seus gastos mensais.
Qual foi o número que você encontrou?
1 mês?
2 meses?
Morte súbita?
Se foi superior a 3 meses, parabéns! Continue acumulando até chegar, pelo menos, a 12 meses.
Agora se foi qualquer número menor que 3 meses se faz necessário uma intervenção imediata.
Você precisa mudar radicalmente a sua relação com o dinheiro e começar a implementar novos hábitos, por que você está vivendo no fio da navalha onde qualquer deslize é como um grave acidente.
A clássica resposta é: mas Danilo, não me sobra nada para guardar…
Então guarde primeiro e gaste depois…
Comece guardando 1% do que você ganha. Assim que receber o seu salário, tire apenas 1% e coloque em alguma aplicação qualquer. Acredite, não lhe fará falta.
Depois aumente para 3%, 5% e more na casa de 10% por algum tempo. Após que o hábito estiver consolidado, vá aumentando para 12%, 15% até chegar a 20%, onde acredito ser um bom lugar para ficar quando se tem apenas uma fonte de renda.

Grande abraço e nos vemos no topo!


Dica de Leitura - Quatro Passos Para Sair do Vermelho
#4passosparasairdovermelho
Calculadoras: http://www.infomoney.com.br/ferramentas/calcule-retorno-dos-seus-investimentos

O que você achou desta informação?


0

 

Comentários

Faça parte da notícia, deixe seu comentário, expresse sua opinião.
Eduardo Santoro
08 Abril 2016 | 14:28 pm

ótimo artigo, rápido e direto.
Parabens pela elucidação.
Graças a esta orientação sua, tenho feito isso desde o ano passado.
Resultado garantido.
Óbvio que um mês aperta mais que o outro, mas o compromisso de guardar um pouco deve ser "SAGRADO".
Um ótimo negócio a todos!!!


Andre Ricardo
08 Abril 2016 | 13:18 pm

gostei do texto e vou contar uma experiencia que confirma o que foi dito: eu sempre tive o hábito de guardar moedas no carro devido ao meu vicio em água, sempre tinha que ter esses trocados no console para socorrer da sede, certa feita ia entregar o carro para um manobrista e resolvi colocar as moedas no bolso, como ficou incomodo tive a curiosidade de contar e tinha em torno de R$43,00 de troco de estacionamento, padarias e etc, e lembrei que fazia pouco tempo que comecei a guardar, resolvi abrir uma conta poupança na caixa apenas para essas moedas, 4 meses depois eu tinha quase R$900,00, fiquei espantado como "jogava dinheiro fora"


E-mail protegido, também não gostamos de SPAM

Sua mensagem foi enviada com sucesso!